Habilidade cognitiva

Percepção

A percepção está relacionada à capacidade do indivíduo em receber, sentir e responder de forma natural a estímulos do ambiente externo a partir dos sentidos. Inclui-se aqui diferentes tipos de percepção, como: visual, espacial, olfativa, gustativa, auditiva e tátil. Dessa forma, estar com os sentidos preservados permite que ocorra uma resposta mais alinhada ao estímulo recebido.

Quando você realiza uma atividade, como um jogo de 7 erros, e precisa observar duas figuras atentamente, para encontrar as diferenças entre elas, utiliza sua capacidade de percepção visual, assim como na montagem de um quebra-cabeças. Ao caminhar na rua ou andar de bicicleta e desviar de um obstáculo você utiliza sua percepção espacial para evitar esbarrar nele e até mesmo sofrer uma queda.

Ao fazer uma refeição você, a partir do olfato e do paladar, consegue notar diferentes características desse alimento: se o cheiro é forte ou fraco, se o sabor é doce, azedo, amargo ou salgado. Nesse momento você explora suas percepções gustativa e olfativa, o que auxilia na identificação de um alimento que esteja inadequado para o consumo e protege sua saúde de uma possível infecção alimentar.

Quando você escuta um som e consegue diferenciar se é: um instrumento musical, um ruído de animal, um meio de transporte ou uma voz humana. E, ao mesmo tempo, nomear: o tipo de instrumento, o nome do animal, o tipo de veículo, se a voz é masculina/feminina, de criança/adulto/idoso; expressa assim sua percepção auditiva.

Durante uma queda de energia na sua residência em que você precise encontrar uma vela e um fósforo precisará explorar sua percepção tátil para, na escuridão, diferenciar os objetos com a ajuda das mãos até identificar qual deles é a vela, sem o auxílio da visão. Essa percepção permite sentir as texturas dos objetos (macio, áspero, rugoso); bem como suas dimensões, para assim ser capaz de nomeá-los, sem vê-los, somente através do tato.

Podemos notar a grande importância da percepção juntamente com nossos sentidos para nos relacionarmos com os objetos e as pessoas de forma mais harmoniosa, bem como na realização de nossas atividades cotidianas. Quando por alguma doença, lesão e/ou transtorno a percepção é comprometida torna-se fundamental a intervenção de um terapeuta ocupacional para auxiliar o indivíduo a reorganizar os estímulos recebidos e/ou promover adaptações para que o mesmo possa realizar suas funções e atividades com ênfase nas suas habilidades preservadas.