Habilidade cognitiva

A importância da atenção e da concentração

Quando por alguma razão não dormimos bem (seja por estresse, problemas emocionais, familiares ou no trabalho) é comum sentirmos que nossa atenção fica prejudicada. Não conseguimos nos concentrar nas atividades, pois o sono comprometido interfere nessa habilidade. Mas afinal, há diferença entre atenção e concentração?

A atenção é uma habilidade que pode ser dividida, para fins de estudo, em: atenção seletiva, atenção dividida e atenção sustentada. A primeira se relaciona a capacidade de dar prioridade a um determinado estímulo em relação a outro. Como exemplo, podemos citar: ler um jornal enquanto a televisão está ligada. Você ignora o som da TV e consegue manter uma boa compreensão do conteúdo que está lendo.

A atenção dividida corresponde a perceber mais de um estímulo ao mesmo tempo e dar uma resposta a ambos, sem prejuízo a nenhum. Exemplo: ler um livro e ouvir uma música ao mesmo tempo. Você utiliza os sentidos da visão e audição, consegue entender o que está lendo e escutar a música, até cantar, sem que isso atrapalhe sua leitura.

A atenção sustentada, como o próprio nome diz, se refere a sustentar sua resposta àquele determinado estímulo pelo tempo necessário para conclusão de uma tarefa. Exemplo: Acompanhar uma série na internet. Você precisa assistir todo o episódio e entender para poder continuar a ver o episódio seguinte.

E onde fica a concentração nessa história toda?

Bem, a concentração irá auxiliar a sua habilidade de atenção sustentada. Você busca se concentrar para atingir um objetivo, como ao estudar para uma prova a fim de alcançar um determinado conceito. Para isso você precisa aprender o conteúdo e, ao manter a concentração, fica mais fácil assimilar esse conteúdo. Então, em resumo, você ativa essas funções mentais sempre para um propósito: na realização de uma tarefa! Portanto, a atenção e a concentração dependem uma da outra para que a tarefa seja concluída com êxito.

Agora consegue entender a importância de manter essas habilidades preservadas?

Pessoas com características de déficit de atenção, hiperatividade, depressão, autismo, transtorno de humor, dificuldade de aprendizagem, transtornos da aprendizagem, dentre outros diagnósticos que afetem a atenção e a concentração, precisam da intervenção de um terapeuta ocupacional para realizar suas tarefas do dia a dia com mais qualidade e independência.